segunda-feira, 11 de junho de 2012

O bom de ser mulher





                                                                                                                                                                          (aos meus amigos)

O bom de ser mulher é conseguir enxergar as possibilidades, não no homem que nos revelam, mas no que poderiam, e rejeitam, pela dor que temem. Se me instigam, no tempo de flecha, os contrários, o meu encanto pertence, e apenas, à similaridade. O bom de ser mulher é  a experiência da intensa comoção no momento das lágrimas que reprimem, dos medos que escondem por baixo da armadura que vestem, forjada às decadentes  e hipócritas  regras do que é masculinidade.  E, quando apaixonados, comovem-nos , completamente, seus muitos cuidados  e a obediência, quase canina, aos nossos caprichos, às nossas vontades. Somos o poço do mistério, eles, nossos adoráveis discípulos desajeitados.

Márcia Leite

2 comentários:

Paulo Tamburro. disse...

Olá Márcia Leite,

esse discípulo desajeitado, pede permissão para mergulhar de cabeça neste poço misterioso e com certeza, descobrir todo o encantamento de uma mulher.

É bem verdade que, mesmo sob tão generosa aquiescência, reconheço que sempre será muito difícil para qualquer homem ver com completude a intensa monumentalidade de qualquer mulher, através da sua atrofiada visão afetiva,imediatista e não tão incomum assim, egoista.

No entanto, vale a pena tentar, querer fazer-se melhor e habitar, mesmo que seja por pouco tempo, o Olimpo onde estas deusas predominam.

E que continuem, para a felicidade de seus vassalos.

Um abração carioca.




Somos o poço do mistério, eles, nossos adoráveis discípulos desajeitados.

Márcia Leite disse...

Considero aberto o diálogo, Paulo Tamburro. Gostaria de ver o que sai no Falando Sério, ou, melhor ainda, numa versão mais 'light', no Humor em Texto. Há luz, brilhante, no tal 'final do túnel'!
Abraços